segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

lovin' arms


Sabe os dias difíceis? Os dias escuros, de raiva, de temporal, de tristeza? São nesses dias que eu me apego no amor, são nesses dias que eu me lembro ainda mais que te amo e são nesses dias que eu sinto. 
Sinto meu coração ficar pequeno, sinto vergonha, sinto força e sinto amor. 
Como é difícil amar nos dias em que a conversa é pouca, onde o stress é grande, onde as vontades não são as mesmas, mas como é importante amar nesses dias. Ao deitar a cabeça no travesseiro eu agradeço por sobreviver a mais um dia nublado, amando, por que nem todos os dias serão férias de verão ensolarado, muitos dias serão de inverno rigoroso, se é que entende minha metáfora. 
A verdade é que apesar das dificuldade eu sigo te amando e é isso que faz meu coração sentir orgulho, é que apesar das lambadas que já levamos e dos medos, da insegurança e da vontade de desistir que já sentimos no fim do dia eu ainda posso ouvir o seu 'Eu te amo' tão sincero que chega a me dar um brilho nos olhos. 
Não quero me fazer de vítima, como todas as outras vezes que escrevi, dizendo que sou difícil, que tenho problemas e pedir para você não desistir de mim, quero apenas poder me sentir cheia de orgulho por sobreviver até aqui. 
Eu que sempre fui inteiramente coração ainda sofro aprendendo a lidar com as coisas de forma adulta. Você sabe que eu vivo em mundo só meu, as coisas são mais fáceis do lado de cá, como quando eu te vi e me apaixonei de forma simples e rápida, mas tão forte que jamais consegui pensar na possibilidade de viver sem você sem que me desse um aperto no peito. 
É que isso é a única coisa que sei fazer bem, eu já escrevi sobre isso uma vez, eu não faço nada bem.. mas te amar, há sim, eu amo. Me tornei especialista, em um fim de tarde de sábado no cinema, eu me formei, em amar... 
E vim exercendo essa profissão de amante todos os dias, sejam eles de dores ou de alegrias. 
E disso, meu querido, você não pode me contrariar, meu coração que de tão ingênuo as vezes chora, ama tanto que até dói, ama os gestos, as palavras, as fotos, os carinhos, as noites, os dias... e eu me entrego sem tempo nos teus braços, tenho medo sim, mas eu quero o que nos espera. Eu que não sou de pedir nada, quero fazer um pedido a você: quando pensar em me esquecer, não esqueça de me amar.

E como dizem por aí: " Só quem ama sabe a dor e a delícia que é fazer um relacionamento dar certo."



Te amo.


quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Bateu a vontade de escrever e minha mente não conseguiu focar em nada que fizesse sentido pra mim. Talvez por  que, hoje, nada faz muito sentido pra mim. O tempo corre, voa, e eu não vejo. 
Pode alguém ter saudades do que era? Do que foi, do que havia sido, do que tinha(??).
Perdão pelas palavras de tom tão negativo. Mas é que hoje, meu caro, vivo um turbilhão de sentimentos, a fase de faculdade, namoro, trabalho e etc, é assim, me disseram.. Achei que a barra não seria tão pesada, ué, já aguentei coisas piores, pensei, chorei e estou aqui. 
As decisões hoje são tomadas de forma mais decisiva,e assim vai, pra todo passo que dou.. decisão, sentença, decreto! Fim.
Mas e se eu tiver medo? Não pode! Fraca! 
Mas eu tenho, e muito. E se eu não estiver no caminho certo? Posso voltar atrás? Quem garante que vai dar tudo certo? 
Cheguei aos meus 19 anos, não tenho nenhum hobby, não faço nada bem, não acabo as coisas, não sou boa em algo, não gosto muito de alguma coisa.. 
Não sei o nome de jogadores, não faço crochê, não sei cantar, não vou a academia, não leio todos os livros que tenho, não sou sabe-tudo, não costuro, não pinto,não toco violão, não rezo todo dia, não, não...e a lista continua. 
Não tenho nada de especial, sou normal, sou mundão, sou igual, sou indiferente. E isso é que pesa nos ombros, aonde que é o meu lugar?
Isso pode ser chamado de insatisfação pessoal?

 BINGO!

Mas amo, amo bem, amo completo, amo cheio, amo até o fim, amo livre, amo lindo, amo todo, amo certo, amo amando.. 
E o coração quase explode por amar, quase sai pela boca, quase para e volta a bater. Apanha, levanta e ama de novo. E amar, eu faço bem.
Mas e se o que eu faço bem é o que me faz mal?

E aguardamos quem irá nos ajudar. 


"Eu gosto é do estrago!"