segunda-feira, 29 de julho de 2013

O falecido.

Meu amor não ressuscita. Não que eu não tenha dado injeções de adrenalina direto no coração, ou tentado uma sessão de choque. Parei de andar correndo e comecei a analisar passo por passo, bem devagar.Só tentando achar uma solução.
Frequentei esquinas diferentes, experimentei outras bebidas, fiz novas amizades e falei sobre assuntos malucos. Aproveitei momentos para não me arrepender do que não fiz, apenas por ser jovem fiz coisas que todos consideravam errado.Detestei e amei minhas ações e aventuras.Mas ele? Nada de voltar. Frio como um cadáver, mas é isso que ele é.. um morto! Meu amor morreu, não sei bem quando, mas morreu.Vai ver morreu por que não encontrou outro amor vivo compatível com ele, morreu por que mataram ou morreu por que não tinha folego pra pensar que talvez ele vivesse procurando outro amor e nunca fosse encontrar.
Morreu fraquinho, coitado, sem forças nem pra me dizer que estava morrendo. Percebi que ele morreu, enquanto estava nas festas, enquanto bebia um pouco mais do líquido libertador,enquanto beijava alguém e sabia que aquele "A gente se fala amanhã por internet ou celular" era mentira e que amanhã eu estaria sozinha novamente por opção, ou não. Morreu por que eu nunca deixei que alguém me tocasse pra valer, e nunca levei ninguém a sério. 
Meu amor morreu após eu dizer a mim mesma tantas vezes, 'só depois da faculdade'. Tadinho, meu amor foi sem encontrar ninguém e me deixou aqui, vivendo meio vazia.
Tô vivendo de um lado pro outro, conhecendo gente e sabendo que logo vai sair da minha vida, encontrando pessoas e entendendo que meus beijos vão ser apenas pra curtir a noite. Tudo isso por que o meu amor morreu e ninguém ressuscitou ele. E ele também morreu sabendo que não importa quantos amores vivos ele encontre por aí, nenhum bate com ele agora.
'Quem sabe depois da faculdade, algum amor encontre uma maneira de te ressuscitar não é?' sussuro enquanto ele ainda esta morto. Quem sabe.. mas só daqui a algum tempo, por que nos meus planos não há espaço pra ninguém.
Coitado do meu amor, morreu sem amar!


10.06.13

Nenhum comentário:

Postar um comentário