quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Intensificador de desejos.


E eu me encontrei novamente aqui,deitada em teu peito como se fosse a coisa mais normal que já me aconteceu.Vi seus olhos brilharem,tão intensos e claros que tive vontade de gritar o quanto gostava disso.O quanto amava teus olhos me fitando,teu nariz tão bem formado e tua barba por fazer. Mas antes que eu pudesse fazer algo,me peguei  sentindo o hálito fresco misturado com álcool tão perto do meu rosto que se eu ou você nos inclinássemos, acabaríamos nos beijando. E não sei se foi você ou se foi eu que se inclinou ou se foi os dois, mas quando vi já estava sentindo o calor da sua boca na minha,senti suas mãos deslizarem pelas minhas costas até a cintura me puxando mais perto com uma forma de desejo absurda e ao mesmo tempo, pura proteção. Podia ouvir sua respiração e sentir suas mãos cada vez mais firmes por mim.Pudi sentir os choques de desejo que passavam pelo meu físico,necessitei cada pedaço do teu corpo.Senti tuas mãos deslizarem entre minha cintura e coxa,me puxando ainda mais pra perto de teu corpo em uma vontade de me tomar pra ti.Quanta saudades eu senti desse teu jeito.Já tinha perdido a noção de quanto tempo eu estava em ti e vice-versa,mas desejei que não cessasse nem que o mundo estivesse desabando.Estava sentindo o que meu corpo exigia a semanas,tua barba por fazer,tuas mãos a me levantar e me virar o corpo,o cheiro do teu cabelo.Tudo isso me deu uma nostalgia dos anos em que vivemos juntos.Queria cada gota que pudesse extrair da sua boca,e torcia para que não se desprendesse de mim,que não deixasse de me apertar cada vez mais forte contra o teu peito,me fazendo arder de felicidade e desejo.Mas em um ato involuntário dei um pulo e me soltei,mesmo que meu corpo gritasse por mais um pouco do seu calor ou por muito mais do que só os seus beijos. Repensei em segundos o que estávamos fazendo,e por mais que quisesse passar o resto dos dias envolvida em ti, me lembrei do que acontece depois, de acordar de manhã e sentir o vazio do outro lado do colchão e a ausência do teu corpo.Esperando até a próxima visita inesperada que tu quiseres me fazer. Desisti disso e pensei em mim. E por mais que me doeu na hora te ver partindo enquanto te mandava embora,sabia que não ia doer mais do que te ver partindo enquanto eu te pedia pra ficar.

16.11.12

Precise de ninguém.

Um dia li em um site qualquer que "Ninguém é tão alguém que não precise de ninguém."Eu desacreditava nessa frase,ria e afirmava a mim mesma em alto e bom som,que eu não precisava de ninguém e que  quem precisa de namorado é maluca,que não se contenta sozinha. 
Mas hoje,eu percebi que não é de namorado -apenas- que se refere a frase, e sim, de alguém, uma pessoa qualquer que seja.
Hoje não me restou dúvidas de que preciso de alguém e esse 'alguém' são as amigas. Analisei cada pedacinho da minha vida e percebi que não fiz nada sem uma amiga do lado.
Compreendi que sem minhas risadas matinais eu estaria sem rugas,porém eu estaria,também,ferrada. Sou amante assumida das minhas parceiras de crime. Amo como tenho que me controlar em gargalhar mais baixo das nossas piadas internas por que estamos em um local público ou de como fazemos amizade fácil.

Amigas são as melhores coisas depois da família e encho a boca para falar das minhas. Tenho pra mim que nos encaixamos melhor do que certos 'ex' que apareceram em nossas vidas.E até agora, não precisamos de namorado algum para nos fazer tão bem quanto nós nos fizemos.
É bom poder sair por aí de alma limpa e cara lavada,sem estar com o coração cheio de saudade,angústia,amor não correspondido e toda a bagagem que paixão mal resolvida trás. E saindo,como hoje, em amigas que se sentem bem sozinhas foi uma vitória.Curtimos as amigas,dirigimos frase de apoio uma a outra como :"É isso aí,somos só o que precisamos." No meio daquele brinde onde comemoramos a nossa saída pela primeira vez com o coração leve percebi que é disso que preciso e disso que a frase falava.Preciso do que me faz bem, e o que mais me faz bem do que amigas,boas gargalhadas,algumas voltinhas e amor próprio? 

Não existe homem nenhum que me faça ficar triste de vez, em quanto eu tiver minhas parceiras. Em quanto eu tiver amigas, e existir essa troca eterna de companheirismo e apoio que eu tenho. E digo em alto e bom som, agora não só pra mim mas para todos, que: "Ninguém é tão alguém que não precise de ninguém."

16.11.12