domingo, 30 de setembro de 2012

Em segredo.


Me pego olhando para a mesma tecla a alguns minutos sem conseguir escrever nada.De hora em hora,ou um pouco menos,me pego olhando a telinha brilhante do celular.Acho que existe algo de errado quando você espera uma mensagem que não tem remetente,não é? Me sinto um pouco mais fria, ríspida toda vez que vejo alguém querendo ter o desprazer de flertar comigo.
Sentir as borboletas no estômago,dormir feliz, acordar e perceber que se estava encarando o teto e sorrindo já faz alguns minutos,ver o celular ligar com o nome que não sai da minha cabeça? Isso eu desconheço, nunca senti. Jamais me senti contente com alguém. Ao 
contrário de não ter opções mas por ninguém ter tocado a mim tão afundo. Sentir raiva, me enjoar fácil dos outros, não responder mensagens e desligar as ligações? Bom, isso eu sei muito bem. 
E é difícil alguém entrar e permanecer, causando dia e noite efeitos bobos em mim, daqueles que quem vê de longe acha a coisa mais bonita em um casal.Talvez, por que não ninguém até hoje me encantou. Fazer o que os outros já fizeram aqui, não torna ninguém especial.Eu espero mesmo é aquele que mesmo que não goste de ler, respeite isso em mim e admire meu amor pelas palavras.Que compreenda que em mim existe bem mais do que eu mostro e que mostrarei somente a ele essa minha parte! Que tenha sempre em mente que minha risada alta é algo que não muda e que tenho comigo constantemente,que gosto de ter amigos sempre por perto e que vez ou outra vou estar tão desesperada comigo mesma que não vou conseguir passar a ele o que sinto dentro de mim.
Quero que encontre em mim o que procurava em outras, o que desejou e nunca encontrou e que tenha pra si que tenho algo de diferente entre elas.

Entre as curvas do teu braço descanso de olhos fechados agradecendo a cada segundo que tenho ao teu lado,podendo sentir teu perfume que ao ir embora,certamente ficará na tua camisa que eu me pegarei usando.Tenho pra mim que ele é meu já desde que nasceu,como eu também sou dele desde a primeira vez que enchi os pulmões com o ar deste mundo. Não me importo de não sentir nenhum pouquinho de "paixãozinha repentina" por ninguém,sei que quando essas borboletas e calafrios chegarem,não irão mais embora. Tamanho é o amor que nascerá entre nós que de longe todos irão dizer:"Já se pertenciam, sem ao menos saber." Aqueles casais que dá vontade de  ficar olhando o dia todo,que um completa o outro,não por sentir necessidade obsessiva um do outro. Apenas por que se gostam, por que não existe mais vazio existe apenas amor aonde, antes,eu dizia que sentia solidão.

30.09.12

Nenhum comentário:

Postar um comentário