quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Bateu a vontade de escrever e minha mente não conseguiu focar em nada que fizesse sentido pra mim. Talvez por  que, hoje, nada faz muito sentido pra mim. O tempo corre, voa, e eu não vejo. 
Pode alguém ter saudades do que era? Do que foi, do que havia sido, do que tinha(??).
Perdão pelas palavras de tom tão negativo. Mas é que hoje, meu caro, vivo um turbilhão de sentimentos, a fase de faculdade, namoro, trabalho e etc, é assim, me disseram.. Achei que a barra não seria tão pesada, ué, já aguentei coisas piores, pensei, chorei e estou aqui. 
As decisões hoje são tomadas de forma mais decisiva,e assim vai, pra todo passo que dou.. decisão, sentença, decreto! Fim.
Mas e se eu tiver medo? Não pode! Fraca! 
Mas eu tenho, e muito. E se eu não estiver no caminho certo? Posso voltar atrás? Quem garante que vai dar tudo certo? 
Cheguei aos meus 19 anos, não tenho nenhum hobby, não faço nada bem, não acabo as coisas, não sou boa em algo, não gosto muito de alguma coisa.. 
Não sei o nome de jogadores, não faço crochê, não sei cantar, não vou a academia, não leio todos os livros que tenho, não sou sabe-tudo, não costuro, não pinto,não toco violão, não rezo todo dia, não, não...e a lista continua. 
Não tenho nada de especial, sou normal, sou mundão, sou igual, sou indiferente. E isso é que pesa nos ombros, aonde que é o meu lugar?
Isso pode ser chamado de insatisfação pessoal?

 BINGO!

Mas amo, amo bem, amo completo, amo cheio, amo até o fim, amo livre, amo lindo, amo todo, amo certo, amo amando.. 
E o coração quase explode por amar, quase sai pela boca, quase para e volta a bater. Apanha, levanta e ama de novo. E amar, eu faço bem.
Mas e se o que eu faço bem é o que me faz mal?

E aguardamos quem irá nos ajudar. 


"Eu gosto é do estrago!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário