quarta-feira, 23 de outubro de 2013

"Todo amor que houver nessa vida..."



Exatamente 23:50h, não faz mais de uma hora que cheguei da escola e desde que entrei em casa e percebi que minha mãe já se encontrava dormindo, deitei ao lado dela. Desesperadamente chorei até levantar e começar esse texto. Não brigamos. Devo confessar que eu e minha mãe temos uma conexão perfeita, não acho a gente parecida fisicamente mas "espiritualmente" , ah, isso sem dúvida alguma. 
Nossa maneira de rir é extremamente parecida, o tão chamado 'tapinha' após a risada. Minha mãe é a pessoa mais sensitiva que eu conheço. Raramente discordamos, nunca vi mulher tão companheira como ela. Pra esclarecer um pouco as coisas a minha mãe é daquele tipo de pessoa que vira tão amiga dos seus amigos que não é impossível você acordar em um domingo e ela estar jogando canastra com algum dos seus amigos na cozinha. 
A verdade é que chorei como uma criança por um único fato. Minha mãe irá morrer. Não, minha mãe não está doente. É apenas uma verdade que parou na minha cabeça no momento em que acarinhava os cabelo pintados de vermelho e isso me detonou de uma forma nunca vista antes. Eu já tinha chorado algumas vezes no ombro dela quando era mais nova e dizia: "Mãe tu não pode me deixar." e ela dizia com o maior amor do mundo: "Não vou filha." Mas ali ela estava dormindo e por mais que todo o meu ser quisesse gritar "MÃE TU NÃO PODE ME DEIXAR" eu simplesmente chorei baixinho enquanto ela dormia na posição mais engraçada já vista. Naquele momento eu pensei que a promessa dela de não me deixar não iria ser cumprida e nem dependeria dela ser cumprida ou não. 
Já repeti dezenas de vezes que se minha mãezinha morrer eu morro junto, não caso, não tenho filhos e já deixo avisado aos quatro ventos que me cerca. MORRO JUNTO! 
Não tenho razoes, força ou motivos para viver sem ela.
Não acho digna uma vida se não chegar a conhecer a minha mãe, dona Luci é história, é mito. Não existe por que viver depois dela. Me corta o coração em centenas de pedaços imaginar minha vida sem essa mulher, de todas as pessoas ao meu redor ela é a mais importante. Não me conformo em ver amigos que vivem reclamando da mãe que tem e que não são próximos. Pois bem, eu viveria grudada na minha mãe se ela não repetisse tanto: "Petrine desgruda, que chata." e é indescritível o amor que eu sinto por ela cada vez que aquela vozinha rouca diz isso. Todo o meu ser se enche de mais vontade ainda de agarrar ela e beijar a bochecha dela até ela ameaçar de dar uns tapas que não chegam a doer. 

Minha mãezinha é o motivo pra eu acordar todos os dias, pra estudar Biologia um pouquinho mais todos os dias, por respirar a cada segundo. Quero dar orgulho pra minha mãe, quero ter ela comigo. Eu sei que ela quer viver mais 120 anos, quem dera Deus te deixasse viver mãezinha, assim eu poderia rir das tuas palhaçadas todos os dias por tanto tempo! 
'Mesmo se eu tivesse outra vida mãe, eu te daria, eu seria tua e ainda te amaria. Rainha da minha vida, razão do meu viver, amor maior do mundo. 
Eternamente, mãe, mamãe, dona Luci ou Neide mesmo! ♥'



''Amor da minha vida
Daqui até a eternidade..."



24.10.13