domingo, 6 de janeiro de 2013

Uma de saudade.


Que feliz que todo o meu ser se encontrava quando recebeu a tua visita bem na data em que eu me encontrava fazendo mais um ano de vida. Eu nem precisava mais de presentes, de nenhum parabéns e muito menos ter falado naquela rádio boba logo de manhã. Eu precisava daquele momento, daqueles 10 minutinhos que foi ter você aqui em casa. Só daquele abraço cheio de saudade que eu te dei, onde eu gostaria bem mais que a gente estivesse deitada para não cansar enquanto eu desatava a contar tudo não tinha contado desses tempos pra cá. Não faz mal, ao menos você fez de tudo e passou aqui rapidinho. E eu amei.
Porém foi só aqueles 10 minutos e logo tu partiu de mim de novo, como tu gosta de fazer isso hein menina? Como se eu aqui também não sentisse tua falta ou te merecesse ao menos um diazinho comigo. E aqui estou eu mais um vez, contando os dias, de novo, pra te ver. Pra poder chegar à tua casa e ir me jogando na cama pra dormir, reclamar que o quarto ta bagunçado e te derrubar do colchão. E olha que me deu tanta vontade de fazer isso no Sábado, eu entrei na tua casa e fui correndo me jogar na cama. Mas tu não veio atrás pra se jogar também e a gente ficar disputando coberta. Tu não tava lá pra eu reclamar daquela figurinha colada na porta do teu armário que me dá medo. Muito menos pra fazer um COMBO em ti. Sabe o que foi pior? É que me bateu o desespero, aquele desespero que me bate vez ou outra e que tu conhece bem, que chega perto da hora de dormir, e tu não tava lá pra me abraçar em quanto eu chorava e nem pra me consolar. Então eu deitei na tua cama e abracei o sapo, aquele sapo que a gente joga pra lá e pra cá quando vai dormir, e prendi o choro. Por que ninguém ali iria entender o porquê eu estava chorando e nem iriam se importar tanto quanto você. E ficou, eu e o sapo.
Desespero maior me bateu quando um pouco antes de cada um pegar o seu lugar pra dormir eu vi a tua irmã com a nossa amiga e então eu fiquei só olhando e na hora me venho na mente em ir na tua direção também pra pular na tua canguta ou te encher o saco,e lembrei que tu não estavas ali. E que eu estava sozinha no meio das duas, que faltava a minha parceira daquela casa. 
Invadi teu guarda-roupa e peguei blusa e jaqueta e pijama... Como tu mesma me mandou por mensagem fiz a festa e estava aproveitando. Mas é que era só pra ver se meu coraçãozinho se acalmava um pouco de tanta angústia que ele sentia. Eu sabia que lá onde tu tava tu devia estar se divertindo horrores, mas eu tava me sentindo meio vazia. E agora eu sinto na pele o que a frase "Quando a saudade não cabe no peito ela escorre pelos olhos." queria dizer. Cheguei em casa hoje e aquela minha depressãozinha de todos os meses apareceu, e ficou pior quando percebeu que não ia te ter ao lado pra agüentar minhas lágrimas. Então foi onde por um erro coloquei "All For Love" e música que mais me lembra você do que essa não existe, e então tudo desabou. Estou com a jaquetinha azul e branca que peguei na sua casa ontem e tentei te ligar umas duas vezes em quanto fazia esse texto e sorte que não atendeu, meu choro está descontrolado e tu não irias entender nada do que iria falar. Nunca imaginei sentir tanta saudade. E é bom mesmo você não me abandonar te bato se isso algum dia acontecer. Mais um texto a uma melhor amiga incomparável, e que me faz chorar toda vez que eu penso nela. Nega branca volta logo!
"Não sei o quanto o mundo é bom, mas sei que ele ficou melhor desde que você chegou."

6.12.12

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Adeus 2012.


Aqui estou eu em pleno dia 31 de dezembro em frente a minha tela preferida fazendo o que mais gosto. Eis que faltando algumas horinhas para recomeçar a contagem de um ano inteirinho a retrospectiva de minha própria vida no decorrer de 2012 passa claramente. Sem pensar duas vezes posso dizer que este ano não foi lá muito agradável e que apareceram lágrimas a mais do que eu esperava. Foi um ano de perda inestimável e de pessoas insubstituíveis, foi ano em que eliminei de vez pessoas que eu já me afastava há algum tempo, ano que me fortaleci na amizade, que conheci gente maravilhosa. Ano que aconteceram coisas comuns como qualquer outro! E ano de surpresas, de brigas e de medo. De dor, de saudade e de choro. Mas também foi um ano de fé,de força e de luta, maior do que qualquer outro.Ano de trabalho,de estudos,foi ano de decisão de faculdade, de troca de turno, de diferenças grandes e de mudanças. 2012 apesar de ter sido doloroso, foi também ano de realizações de sonhos, de gargalhadas seguidas de falta de ar, de paixões repentinas, de retiradas de fôlego, de arrependimentos, de festas e de valorização.  E creio que fazendo uma avaliação literal, esse ano foi de dores necessárias para o crescimento. Desde o dia primeiro de janeiro de dois mil e doze, já fui ganhando experiências que me ajudariam agora mais no finalzinho do ano e provavelmente para os próximos de minha vida. E que eu adorei cada segundo, por que sabia que eu conseguiria passar por cada desafio, orando e esperando.Agradeço por mais um ano não perder meus valores e manter em foco os meus objetivos, e que em 2013 eu consiga cumprir muitos mais deles.
Eis que chega 2013 cheio de dias vazios, de horas não tocadas e de meses a serem preenchidos. Encontro-me com a bagagem um pouco maior de conhecimento, experiência, força e garra para 2013, assim como cresce a cada ano. Desejo a mim e a vocês, meus leitores, um ano ótimo, e que as promessas feitas nos últimos anos acabem se cumprindo, que os desejos para 2013 não fiquem apenas nos papéis, que apesar dos choros e sorrisos que 2013 vai nos trazer, a gente não esqueça como conseguimos agüentar até aqui. Próspero 2013, agradecida por passarem esses três anos comigo. 
P.Moretti.

31.12.12