domingo, 17 de novembro de 2013

Confundo felicidade com este nervosismo.


                       Respirei fundo e me peguei sorrindo. Eu não tinha ideia de quanto tempo já estava fazendo isso, mas sabia o motivo. Teu perfume estava em mim. Fragrância boa é a do seu cheiro no meu corpo. Surpreendente a forma que isso amenizou a vontade de te ter comigo, apesar de que tudo que eu queria era estar nos teus braços de novo.
                       Mergulhei no teu cheiro novamente e meu peito se encheu de um sentimento novo, e eu sei que tenho medo de sentir. E pela primeira vez não tive vontade de mandar alguém embora  de vez, de virar as costas, de não responder. Pela primeira vez eu tive vontade de ter de novo, de sentir de novo e de tocar de novo. Se destacou entre tantos se transformando em ansiedade minha por uma notícia tua. Nem me reconheço direito, perdi a batalha pra mim mesmo. 
                        Mas acho que dessa vez se for de passo em passo que eu preciso ir contigo, nem ligo em continuar caminhando junto com o coração tremendo e  a sensação de borboletas no estômago. Já nem posso imaginar sobre as borboletas penso que já seja um bando voando dentro do meu ser, me perco no friozinho que dá, no medo e desejo que sinto horas antes de te ver. Um calmante não faz mal né? Eu sei, me dá sono. Mas é deliciosa a sensação do teu beijo e depois o sussurro no meu ouvido: 'Pra afastar o teu sono.'  Dá vontade de viver quase dormindo. 
                        Irônico pensar que justo alguém como eu que jurava de pés juntos, dedos cruzados e olhos fechados, jamais me encantar por alguém, durmo com sorrisos e agradecimentos e acordo sorrindo mais ainda. Gosto de não ser pressionada, de não ter que criar expectativa sobre tudo isso. Mas é desse jeitinho que eu gosto, exatamente como Chico disse: "Acho uma delícia quando você esquece os olhos em cima dos meus, ou quando sua risada se confunde com a minha."  Pode ser que nada disso faça muito sentido pra ti, acredite, também não faz pra mim. Mas teu nome aparece devagarinho me invadindo a mente toda vez que escuto Leoni,  desfruto o máximo que eu posso do prazer que me dá sentir a paz daquele momento.

E afirmo: se tu vier comigo e me der a mão, eu perco o medo... eu te juro!


17.11.13

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Seremos.

Escutamos John Mayer a tarde toda e quando o CD chegava ao fim, repetíamos por dezenas de vezes. Deitamos ao chão, nos jogamos ao sofá e dormimos na cama. Abri os olhos e observei os olhos verdes me fitando e quão bem ficavam teus olhos voltados a mim. Beijou minha testa e rimos juntos pelo ato carinhoso que tinha feito comigo e que não era comum entre nossos tapas, empurrões e beliscões.
'Amo você' sussurrou em meu ouvido, se colocando a abrir o sorriso mais lindo e desarmado que eu já tinha visto. Oh céus, como eu te amo. E nós sabemos bem que não queríamos isso, era pra ser coisa passageira, ninguém quer se amarrar tão cedo. Mas o passageiro se tornou eterno, e os desejos nos finais de semana se tornaram diários. Rimos de qualquer coisa até mesmo das tuas piadas tão mal contadas ou de minha voz estranha após tomar refrigerante. E é disso que eu gosto das risadas e dos choros também. Gosto das brigas, das gargalhadas, de ficarmos embriagados em casa após tomar uma garrafa de tequila em dois.
Gosto mais ainda do teu corpo, tão lindo e milimetricamente perfeito, teus olhos verdes claros, teu cabelo bagunçado e barba por fazer.
Apesar de a vida ser esse eterno desencontro... Estamos juntos, os dois que mais gargalhavam vendo casais e repetiam no alto e bom som ''Namorar eu não quero. ''  se encontram agora em uma larga cama abraçados se amando. Eu tinha amor e muito, não sei bem em que parte de mim, mas eu tinha. E um amor lindo que eu não acreditava que pudesse entregar a alguém, e agora ele é teu. Você rabisca qualquer coisa e me entrega ainda deitada na cama e abro sem muita vontade, um cartão com três palavras "você é minha"... Senti os olhos marejados e com a voz embargada disse ''toda tua''. Nunca fui dessas que gostava de certo tom de possessividade nas frases, mas agora eu aceito. Por que eu sou tua e não existe um pedaço de mim que não deseja ser, e que não te deseja.
Apresento-te aos meus pais, digo a tua mãe que estou te colocando na linha, você alimenta o meu gato e eu brinco de boneca com a tua irmã. Tudo em família, como se fosse uma parte fora de mim que vivesse comigo. E entre olhares a gente se beija, se abraça e se sente.
Era isso que a gente queria essa tranquilidade em saber que existe alguém com quem contar e quem amar. É nessa brincadeira toda que eu me apego mais em ti e que eu digo com todas as letras, não desgrudo mais.

Seremos para sempre e se o pra sempre não existir... Seremos eternos, meu amor. Mas seremos.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

"Todo amor que houver nessa vida..."



Exatamente 23:50h, não faz mais de uma hora que cheguei da escola e desde que entrei em casa e percebi que minha mãe já se encontrava dormindo, deitei ao lado dela. Desesperadamente chorei até levantar e começar esse texto. Não brigamos. Devo confessar que eu e minha mãe temos uma conexão perfeita, não acho a gente parecida fisicamente mas "espiritualmente" , ah, isso sem dúvida alguma. 
Nossa maneira de rir é extremamente parecida, o tão chamado 'tapinha' após a risada. Minha mãe é a pessoa mais sensitiva que eu conheço. Raramente discordamos, nunca vi mulher tão companheira como ela. Pra esclarecer um pouco as coisas a minha mãe é daquele tipo de pessoa que vira tão amiga dos seus amigos que não é impossível você acordar em um domingo e ela estar jogando canastra com algum dos seus amigos na cozinha. 
A verdade é que chorei como uma criança por um único fato. Minha mãe irá morrer. Não, minha mãe não está doente. É apenas uma verdade que parou na minha cabeça no momento em que acarinhava os cabelo pintados de vermelho e isso me detonou de uma forma nunca vista antes. Eu já tinha chorado algumas vezes no ombro dela quando era mais nova e dizia: "Mãe tu não pode me deixar." e ela dizia com o maior amor do mundo: "Não vou filha." Mas ali ela estava dormindo e por mais que todo o meu ser quisesse gritar "MÃE TU NÃO PODE ME DEIXAR" eu simplesmente chorei baixinho enquanto ela dormia na posição mais engraçada já vista. Naquele momento eu pensei que a promessa dela de não me deixar não iria ser cumprida e nem dependeria dela ser cumprida ou não. 
Já repeti dezenas de vezes que se minha mãezinha morrer eu morro junto, não caso, não tenho filhos e já deixo avisado aos quatro ventos que me cerca. MORRO JUNTO! 
Não tenho razoes, força ou motivos para viver sem ela.
Não acho digna uma vida se não chegar a conhecer a minha mãe, dona Luci é história, é mito. Não existe por que viver depois dela. Me corta o coração em centenas de pedaços imaginar minha vida sem essa mulher, de todas as pessoas ao meu redor ela é a mais importante. Não me conformo em ver amigos que vivem reclamando da mãe que tem e que não são próximos. Pois bem, eu viveria grudada na minha mãe se ela não repetisse tanto: "Petrine desgruda, que chata." e é indescritível o amor que eu sinto por ela cada vez que aquela vozinha rouca diz isso. Todo o meu ser se enche de mais vontade ainda de agarrar ela e beijar a bochecha dela até ela ameaçar de dar uns tapas que não chegam a doer. 

Minha mãezinha é o motivo pra eu acordar todos os dias, pra estudar Biologia um pouquinho mais todos os dias, por respirar a cada segundo. Quero dar orgulho pra minha mãe, quero ter ela comigo. Eu sei que ela quer viver mais 120 anos, quem dera Deus te deixasse viver mãezinha, assim eu poderia rir das tuas palhaçadas todos os dias por tanto tempo! 
'Mesmo se eu tivesse outra vida mãe, eu te daria, eu seria tua e ainda te amaria. Rainha da minha vida, razão do meu viver, amor maior do mundo. 
Eternamente, mãe, mamãe, dona Luci ou Neide mesmo! ♥'



''Amor da minha vida
Daqui até a eternidade..."



24.10.13

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Afeição recíproca.

Obs: dar play ao vídeo abaixo antes de ler.

Desde que me conheço por gente tenho você ao meu lado e sem dúvidas tu me tem ao teu. Sei que poderei contar até os últimos segundos da minha vida e vice-versa. É desde criança que te visito todos os meses, que meus segredos mais íntimos são revelados a ti, que te incomodo com os surtos de loucuras. Não me lembro da primeira vez em que brigamos e nem me preocupo em saber disso, pois isso raramente acontece. Tu és minha companhia em festa de família, em final de semana chato, em domingo de chuva, em madrugada de web, em viradas de ano..
Sorte minha ter alguém tão companheiro comigo, já perdi as contas de quantas histórias nós temos e me alegro em pensar nas que ainda estão por vir. 
Não canso de dizer o quanto me preocupo contigo e sei que muitas vezes meus ciúmes é doentio mas o medo de te perder para as tuas namoradinhas ou de você se machucar é maior do que meu senso do ridículo. As vezes minha mente se desliga e esquece que sempre estaremos ligados. Tenho o maior orgulho de ti e não tenhas dúvida de que me acho ao falar que tu és meu amigo, meu peito fica cheio de carinho, meu sorriso fica radiante e minha boca não para de tagarelar o quanto teu bem estar é importante pra mim.
Me sinto minuscula perto do amor que sinto por ti e sinto que por muito tempo ainda tentarei te proteger das coisas mesmo sabendo que é errado.
De longe te cuido muito bem e perto te dou os puxões de orelhas necessários, fique tranquilo que não se livra-rá de mim tão cedo-sei que no fundo você gosta. Ainda temos muitas histórias pra viver e muitas  promessas pra cumprir. Não me imagino sem você, meu coração se quebra só de imaginar que um dia poderei ficar sem ti e quão dolorosa essa sensação é. Não importa o que a gente esteja fazendo, pode ser  que você durma ao meu lado enquanto eu vejo tv mas já está valendo, quero você perto.
Nunca se esqueça que aqui tu não tem só uma amiga, tu tens uma irmã. E que em momento algum eu irei te abandonar, pode entrar amigos que for em nosso caminho a pessoa que sempre vai te querer bem sou eu. Te guardo, te cuido, te mimo e brigo contigo se preciso for. E sinto muito pela pessoa que um dia se atrever a falar ou te fazer mal pois eu tô aqui pra enfrentar quem for por ti. Por que tu és importante de mais pra não me meter em tua vida. Teu jeitinho todo estressado, tua cabeça dura a gente dá um jeito, só não tem jeito pra se livrar de mim, tu sabe. Um anjinho em minha vida e que eu quero perto pra sempre, agradeço a Deus por ter nos colocado tão unidos assim, alegria maior não há em ter um melhor amigo tão cúmplice dos meus atos irresponsáveis assim.

 Amo você com cada pedacinho do meu ser, serei eternamente tua confidente se assim tu quiseres. Não te esquece de mim, apanha se isso um dia acontecer.





"Eu rezo e peço pra Deus cuidar,a sua vida abençoar.
Vou correr com você até o fim!"


25.09.13

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Inesperadamente.

Desesperadamente procurei uma palavra que pudesse me fazer iniciar esse texto e eis que a palavras escolhida foi 'desesperadamente'. Acho que fez jus ao que eu estava sentindo a alguns meses atrás. Desespero. Me enchia o peito esse sentimento doentio, de que nada está certo e de que eu não era suficiente. Creio fielmente que pessoas ao meu redor colaboram, e muito, para meu estado de espírito.
E afirmo e reafirmo que meu estado de espírito agora está em máximo de felicidade. As pessoas ao meu redor nunca me fizeram tão bem quanto em todos os outros momentos. Estava preparada para ser um ano conturbado e cheio de dificuldades e chegando ao final do ano me encontro em uma felicidade tão grande que meu coração se encontra até mais pequeno do que já é.
O destino, que eu prefiro chamar de Deus, coloca as pessoas no momento onde você já não espera mais novidades da vida. Além de colocar pessoas adoráveis colocou em meu caminho pessoas que eu jamais imaginaria me tornar amiga.

Gosto de pensar que certas coisas acontecem no momento e forma perfeita. Sei que perdi muitas coisas, namoros me tiraram amigas, escolas me afastaram de pessoas maravilhosas, trabalho me distanciou de gente que estava comigo desde a infância. Minhas dificuldades se tornaram maiores e meus choros antes de dormir contínuos. Meu lado feliz, despreocupado e sempre de bem com a vida tinha desaparecido. Meus problemas pesavam mais do que as coisas que me faziam bem. E exatamente nesse instante reafirmo minha fé, enxergo alguém não só como conhecido mas sim como amigo, deixo o laço com o meu primo ainda mais forte, aproveito mais a família, dou mais amor aos meus animais.  E me renovo, me reinvento e firme e forte caminho novamente.
Eis que me encontro aqui, determinada a continuar a me fazendo bem e escolhendo quem me faz bem. Até quando eu não sei mas se Deus quiser, e sei que vai, que seja por muito e muito tempo. Boas histórias estão por vir e sonho ainda estão para se realizar, um calmante só pra ajudar a esperar esse tempo passar, não mais para amenizar o choro.

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Meu amigo, eu gosto disso.


Gostar: sentimento agradável em relação à alguém  ou algo. Ter afeto.
          Depois de esclarecido e comparado ao que sinto me defino como: ferrada. Devo ser franca e confessar, que em nenhum  momento da minha pequena e monótona vida eu fui assim. Ter afeto por alguém, quanto ironia até pra mim. Eu tenho plena consciência que logo isso sai do meu peito, mas enquanto esse sentimento fica aqui, eu me encontro assustada. O que é natural, ao menos  aos meus olhos.
           O engraçado é que o meu avesso é que me encanta, é não gostar de ler, a falta de vergonha com as safadezas, o gosto musical, o nem tanto interesse nos estudos, o deslize nos finais de semana, o ar de “sempre certo” de todas as conversas, as dezenas de amigas meninas,  a facilidade em fazer amizades,  a autoconfiança pura e a falta de romantismo nato.
Mas como Leoni escreveu uma vez “Depois de você, os outros são os outros e sóe  foi um pouco (ou muito) disso que aconteceu.  Os outros não tem aquela maneira de mexer no cabelo, muito menos a facilidade em ficar bravo. De forma alguma encontrei alguém que sussurrasse de forma tão linda “Eu posso te morder?” quanto “Eu te amo”. Até as várias gírias que usava em meio as diversas frases me chamava a atenção, nada me passava despercebido. Me faltariam dedos, mãos  e afins para contar as partes em ti das quais eu gosto. Não sei se era a forma protetora que teu abraço me confortava, ou o jeito que o nosso beijo tomava um ritmo delicioso, as frases de sacanagenzinha gostosas que me mandava vez ou outra, das ligações de noite que me faziam mesmo em silêncio sorrir, das fotos que me enviava e que ainda guardo todas, da tua facilidade em me convencer a fazer as coisas, das tuas caretas, do teu "te amo" inesperado, do ciúmes que raramente te atacava, do nosso lugarzinho marcado, ou do teu silêncio encantador me esperando terminar um parágrafo do meu livro pra te cumprimentar. E mais dezenas de detalhes, que me fascina, em ti.
          Descobri que é fácil me hipnotizar, é só olhar nos teus olhos. Aqueles que eu poderia encarar um dia inteiro sem nem me preocupar. Pelos segundos que eu lembro de encarar teus olhos meu pensamento se invadia de perguntas, por que você me deixa com um pé na frente e um outro atrás? Uma vontade louca de pular de cabeça nessa loucura e outra vontade de sair correndo e te virar as costas.  Me desespero em pensar que os teus sinais literalmente me confundem da cabeça aos pés,  me deixando tão solta e me prendendo tanto. Me enchendo de palavras em uma hora e na outra desaparecido.

Mas eu gosto disso, eu gosto de gostar de ti, mas dessa maneira diferente. Não de quem gosta esperando virar amor, não de quem gosta querendo namorar. Eu gosto desse jeitinho meio atravessado com ciúmes exagerado,  com aquele pensamento “Quando tu for ficar com alguma menina, ao menos fica com uma bonita.” É um gostar diferente, eu gosto é dos detalhes, da amizade, gosto dos beijos, das carícias, gosto ainda mais das risadas, das briguinhas infantis  e  da saudade que me dá quando tá longe.
Tu és meu e eu sou tua, mesmo sabendo que na realidade a coisa é bem diferente.
A gente não tem nada mas tem, tá? Eu vou cuidar de ti sempre, por que tu é meu amigo. E eu gosto disso.

30.08.13

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

A minha nova experiência.

       
Faltando poucos meses para os 17 verões bater a minha porta me deito na cama de casal larga de meu quarto e me imagino nos próximos 10 anos. Segurei o choro ao pensar comigo que quero viver até me esgotar. Quase explodi de vontade em gritar o quanto ainda tenho pra viver, de tudo que ainda me espera e do quanto essa minha vidinha pacata não se parece com a vida em que quero ter. Já perdi as contas de quantas vezes programei o meu futuro e me encontro sempre a mesma maneira, independente, feliz, e sozinha por opção.
        Eu desejo as praias, fazendas, rios e montanhas. Desejo minha adorável e doce solidão como companhia e alguns amantes para as noites com vinho. Eu quero companhia boa, amigos ótimos, apartamento com uma vista linda e um carro preto. Eu quero surfe no final de semana, quero balada na sexta a noite e um cachorro pra me dar apoio no domingo. Quero comida congelada na segunda e pegar pesado na academia na terça. Quero deixar a cama desarrumada, uma pilha de maquiagem no banheiro e celular perdido na bolsa. Eu quero caminhadas na praia de madrugada, mentir o nome em um barzinho, quero roupa nova pra curar a carência e aula de violão pra fazer média. Eu desejo paixões não tão duradouras, sexo com amor e amizade colorida. Eu desejo uma correria pra chegar no zoológico pra cuidar dos meus animais, ligar desmarcando um encontro por que um animal adoeceu. Quero a minha vida na correria mesmo, sem tempo pra respirar direito. Uma independência invejável (mas das boas), um emprego que eu ame e um corpinho bacana. 

       Eu me vejo daqui a 10 anos auto-suficiente, satisfeita e com uma bagagem de conhecimento enorme. Não me vejo namorando, noiva ou casada. Meus planos tem outros focos e metas a ser cumpridas que não vejo necessidade de alguém do lado. Meu rumo é outro, minha cidade é outra, meu destino é sozinha. 
      Hoje, quase 17. Daqui a 10 anos, o meu próprio orgulho.

22.08.13

segunda-feira, 29 de julho de 2013

O falecido.

Meu amor não ressuscita. Não que eu não tenha dado injeções de adrenalina direto no coração, ou tentado uma sessão de choque. Parei de andar correndo e comecei a analisar passo por passo, bem devagar.Só tentando achar uma solução.
Frequentei esquinas diferentes, experimentei outras bebidas, fiz novas amizades e falei sobre assuntos malucos. Aproveitei momentos para não me arrepender do que não fiz, apenas por ser jovem fiz coisas que todos consideravam errado.Detestei e amei minhas ações e aventuras.Mas ele? Nada de voltar. Frio como um cadáver, mas é isso que ele é.. um morto! Meu amor morreu, não sei bem quando, mas morreu.Vai ver morreu por que não encontrou outro amor vivo compatível com ele, morreu por que mataram ou morreu por que não tinha folego pra pensar que talvez ele vivesse procurando outro amor e nunca fosse encontrar.
Morreu fraquinho, coitado, sem forças nem pra me dizer que estava morrendo. Percebi que ele morreu, enquanto estava nas festas, enquanto bebia um pouco mais do líquido libertador,enquanto beijava alguém e sabia que aquele "A gente se fala amanhã por internet ou celular" era mentira e que amanhã eu estaria sozinha novamente por opção, ou não. Morreu por que eu nunca deixei que alguém me tocasse pra valer, e nunca levei ninguém a sério. 
Meu amor morreu após eu dizer a mim mesma tantas vezes, 'só depois da faculdade'. Tadinho, meu amor foi sem encontrar ninguém e me deixou aqui, vivendo meio vazia.
Tô vivendo de um lado pro outro, conhecendo gente e sabendo que logo vai sair da minha vida, encontrando pessoas e entendendo que meus beijos vão ser apenas pra curtir a noite. Tudo isso por que o meu amor morreu e ninguém ressuscitou ele. E ele também morreu sabendo que não importa quantos amores vivos ele encontre por aí, nenhum bate com ele agora.
'Quem sabe depois da faculdade, algum amor encontre uma maneira de te ressuscitar não é?' sussuro enquanto ele ainda esta morto. Quem sabe.. mas só daqui a algum tempo, por que nos meus planos não há espaço pra ninguém.
Coitado do meu amor, morreu sem amar!


10.06.13

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Vem e vai, vai e vem.

Meus olhos estavam fechados mas eu conseguia ver o clarão do sol as 7:30 da manhã de um dia frio de inverno.Abri os olhos tremendamente frustrada com a minha fraqueza.. E ela não era nem física. 
Eu era fraca por deixar que os meus planos fossem quebrados por ele,e pela minha imaginação ser tão produtiva e fértil. A primeira pessoa que me veio na cabeça,pela manhã, foi ele e percebi que também estava lá pela tarde e adivinhe... a noite também. Se você quiser enlouquecer, se apaixone. Eu achava isso pura bobagem! Achava inspiração pra poesia e frase pronta para músicas. Mas não é! Prove se apaixonar e verá como é loucura, é pior que álcool, ou qualquer tipo de droga. É injeção pura de adrenalina no coração, é perca de sentidos,falta de ar e excesso de loucura. Para ser a cereja do bolo, experimente se apaixonar por quem não é apaixonado por você. É veneno que mata devagar misturado com gosto de esperança. E uma frustração por ser um fraco, eis que me encontro nessa zona... a cereja do bolo. 
Digo a ti e repito, lembro do beijo dele a todo instante e não tenho vergonha disso. É que eu tenho desejo da boca dele na minha novamente, de ouvir a voz dele falando qualquer frase tão alta pra se fazer ser escutada melhor do que as músicas que entoavam da caixa de som. Olha, preciso contar uma coisa pra você, eu já gostava dele antes sabia? Mas eu gostava como quem não quer nada, gostava do sorriso, dos olhos e das roupas. Daquele jeito de gostar que a gente tem com qualquer pessoa que passa vez ou outra pela gente, que nem conhecemos mas temos afinidade. 
Eu prefiria ter deixado como estava mas em uma dessas festas ele clamou por meu nome, me procurou entre os amigos e fez questão de me chamar várias vezes pra conversar com ele, e no minuto que ele tocou meu braço senti arrepios da nuca até os pés, foi um choque, nossas energias estavam a mil e nos conectamos em corpo. Imagine, o meu ser ao perceber que estava aos beijos com o tão desejado sexo oposto. As frases formadas na minha cabeça,as cantadas decoradas dele.. nada disso precisou. Foi conexão exata. Mas é claro que foi só da minha parte, por que ele não é uma pessoa que se vê vez ou outro, ele é desejo que realizei. E cada vez que aparece o nome dele frente a um "oi" sinto todo o meu eu se contorcer, e quão gostosa é a sensação.
Meu beijo preferido, o meu casual favorito e por fim.. o desencontro mais certos que tive.

18.4.13

domingo, 7 de abril de 2013

Câmera, luz e ação.


"an.. Oi? Ta gravando? Ah! Ok,obrigada.
Me colocaram nessa sinuca de bico pra falar sobre a vida.Eu repeti que não sabia o que dizer e me encurralaram pra ficar diante dessa lente e falar. Então,desculpem se algo que eu comentar não fizer sentido, é que eu também não faço.
Eu recebi a notícia de que eu deveria falar sobre a vida ontem a noite e devo dizer que não dormi mais do que duas horas, de tão nervosa.Formulei textos,criei poesia,pensei até em fazer música, mas percebi que eu não saberia dizer nada sobre a vida de nenhuma forma.
Olha vou ser sincera, eu sei falar sobre a vida. Mas sei falar da minha. Como eu posso falar da vida se nem terminei de viver uma? Eu passaria horas falando da vida, mas da minha vida.
Eu sei, eu tenho 21 anos, sou formada em Biologia, e não sei falar da vida? "Fala qualquer bobagem sobre espermatozoide (...)fala de células" Que mania que muita gente tem de achar que a vida é isso, é nascer. 
Ou pior,achar que vida é aquelas fotos de pessoas pulando em frente ao por do sol na praia,de um casal de velhinhos apaixonados,de criança com cachorro...
Olha, não estou dizendo que vida não é isso,claro que é.Mas parece que tudo se resume a isto,a belas imagens. Mas eu sei que você que me escuta sabe que sua vida não é assim. Vida é filho morrendo antes do pai,é floresta sendo queimada,é dar o primeiro beijo atrás dos pátios do colégio,é cortar o cabelo e não gostar,é trabalho novo,é brigar com os pais,é perder dinheiro,comprar algo que não precisa,sair pra beber com os amigos,é bater o mindinho no sofá,comer  pizza no final de semana,é perder horas na internet,sensacionalismo na TV ,é chuva antes de ir trabalhar,é preguiça no domingo...
Enfim, isso sim é vida, e é a minha vida. E é disso que eu sei falar. Tanta gente vivendo outras vidas e como eu,tão virgem das aventuras que ainda me esperam, posso falar de vida pra alguém?
Eu vou ser demitida depois desse vídeo,vocês já devem estar imaginando. Mas eu também não gostava daqui, e isso também é parte da vida,da  minha, é não gostar do emprego.
Eu nem sei quem é você e nem que vida você tem,ou quantas vidas já teve. Mas um conselho é escrever e falar da própria vida, fala pro vizinho,pro jornaleiro,fala com o espelho. Mas fala.Ouve o que tu tem pra falar de ti mesmo, e não vai na onda da vida dos outros. Por que eles falam das vidas deles,não podem falar da vida sem saber o que cada um viveu.
Até que ponto você vive o que dizem que é viver? Viver não é mar de rosas,não é estar feliz o tempo todo. Não mesmo,vai lá chora,fecha essa cara, briga com alguém. Pode sim, quem disse que tem que ficar sorrindo o tempo todo? "Ah revista disse que quem ri vive melhor." Estou pouco me lixando.
Emburra aí,fica de bico. VIVE UM POUCO. Ninguém sabe por que você ta bravo pra te dar um conselho como aquele.
Nem se preocupe em achar namorado antes dos 25,o que é que sua avó sabe sobre a sua vontade de ser livre? Nada, ela sabe é da vida dela que com 18 já tinha filhos. E você,claro, não sabe nada dessa vida.
Pra mim,viver é assim, é fazer o que quero e o que não quero, não é só questão de escolhas, é de acatar ordens também. Vida é uma coisa bonita, mas é difícil pra caramba. 
Enfim, como eu te disse, não fica só escutando o que os outros dizem da vida. Eles só sabem daquilo que viveram, não sabe do que viveu não. E nem escute a mim, por que eu sei só do que vivi, e é disso que falei. Isso pode nem fazer sentido pra sua vida. Tire suas próprias conclusões.
Tchau!!!
Ei Zé, como é que desliga esse troço? É pra apertar no botãozinho vermelho? Epa.. acho que mexi em alguma coisa,vem cá Zé."

terça-feira, 5 de março de 2013

Entre amor e amizade.

Sobre um pulo na cama, assimilei o som que vinha de batidas em minha janela que dava para a escada de incêndio,respirei fundo e segui até ela. Por mais que minha mente lutava em pensar em qualquer outra hipótese, sabia que era você como de costume batendo a minha janela. Dito e feito!Fez a careta mais infantil que já vi e esperou eu me desarmar em sorrisos e abrir a janela. Pulou para dentro do quarto já desatando a gargalhar.
- Mirella, me esperando  com o melhor traje.Mas que honra. - seus olhos voltados ao meu pijama de verão da cor mais clara possível.
- Nem em meu sono mais profundo eu estava contando com você está noite, Pedro. - por mais que desejasse ele naquela noite,não confessaria abertamente.
 Pedro tem essa mania,aparecer de madrugada na janela do meu quarto querendo conversar qualquer besteira,as vezes quer meus beijos, tem vezes que me quer por inteira e vezes que a gente só fica rindo até eu pegar no sono. 
Ele chegou de mansinho querendo me dar oi da forma mais sedutora possível e ele conseguia seduzir facilmente, e o maldito sabe disso. Me abraçou forte e dando um beijo no canto dos meus lábios senti o perfume que ficaria impregnado nos meus lençóis na manhã seguinte, algo que eu adoraria. Me contou algumas aventuras que aconteceram antes de ele bater na minha janela,o que não prestei muita atenção por que estava admirando seu cabelo castanho bagunçado fazendo par aos olhos verdes e barba por fazer, o assunto era algo a ver com garotas que ele saiu e não gostou e a única coisa que me prendeu a atenção foi: "Tu me fascina de uma maneira que nenhuma outra consegue, guria..." gargalhei e abaixei os olhos como se desacreditasse em cada palavra. 
- Não fingi achar que não é verdade,tu sabe que é!
E então ele deu um passo a frente, encostando-me contra a parede até nossos corpos se alinharem.Era evidente o desejo entre nós,enquanto uma mão estava em minha face em um gesto de proteção a outra escorria por entre minha cintura juntando o pano do pijama até chegar a pele nua de meu torso, os dedos frios dele tocaram minha carne quente e suspirei em um volume baixo.Eu o ouvia tentando manter a respiração normal,mas sabia que estava fazendo um esforço bárbaro.Me arrastando até a cama sussurrou em meu ouvido: "Você é maravilhosa, a melhor.."
Eu o encarava maravilhada,cheia de desejo. Por suas carícias,seus beijos,seu toque frio me dando arrepios, o cheiro da sua pele em meu rosto. Podia sentir o seu perfume me fazendo desejar mais ainda ele, enquanto sentia emaranhar os dedos em meu cabelo me dando um beijo quente e longo. Se eu nunca cheguei a amar alguém, estava chegando o mais perto do amor naquele instante. Deixamos a tentativas de nos conter nos primeiros 15 segundos e já estávamos entregues um ao outro da maneira mais maravilhosa que eu já vi. Temos a ligação mais bela que já tive, e na noite fria de junho nos esquentamos. Completamos a noite juntos.
Ao final das vias de fato, antes de dormir sussurrou em meu ouvido em um tom tão baixo que pensei ter imaginado o que me disse: " Amo você,menina..."
Acordei com o sol banhando nossos corpos, observei ele dormindo e sabia que era a melhor imagem que eu poderia ter em um domingo de manhã. Também sabia que logo ele acordaria, acabaria com o meu cereal e se mandaria para a casa dizendo que me ligaria a tarde e óbvio que ele ligaria. Sempre liga pra falar umas bobagens e combinar de beber durante a noite. E é isso que eu mais gosto nele, é esse companheirismo eterno,nesse amor camuflado que temos... desse melhor amigo que também não quer nada sério mas que sente o mesmo que eu. Não temos nenhum compromisso mas nos pertencemos. 
Vai me ligar dizendo: 
"Vamos sair pra beber hoje a noite, faremos um brinde a nós, melhor amigo...melhor amor!"

5.3.13

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

A melhor do mundo


Hoje a pessoa mais importante da minha vida faz aniversário,minha mãezinha, eu teria milhares de coisas pra dizer pra ti mãe, mas nada sai, dá vontade de chorar.Queria te desejar parabéns e um maravilhoso aniversário,dizer que desejo a maior felicidade do mundo a ti nem que eu tenha que dar a minha pra você.O aniversário é seu e o presente é meu,por te ter mais um ano comigo e como eu agradeço a Deus por ter você ao meu lado,por poder estar comigo mais um ano e mais amigas.Por sermos tão parceiras,amigas e podermos gargalhar tanto,brincar tanto,curtir tanto! Por ter me dado uma mãe que é muito engraçada e que sempre está ao meu lado,fazendo palhaçada comigo e meus amigos,me dando os melhores conselhos do mundo. Mãe hoje é teu dia e quero que aproveite muito,quero que brinque,que feste, que curta, assim como você sempre faz!
Sei que não sou a filha exemplo,não mesmo, sei que acordo de mau-humor,que não arrumo o quarto,que gasto mais dinheiro do que posso,e várias coisas a mais, porém todo o amor que eu posso sentir mãezinha é teu. Tu que é meu exemplo,meu amor,meu par,meu anjo,meu tudo. É você que me aguenta,que eu posso confiar e que sem dúvida alguma vale mais do que namorado.. deixaria de sorrir pra ver teu sorriso todo dia. 
Mãezinha, estou fazendo de tudo para que no futuro você sinta muito orgulho de mim, e você sabe disso, quero que você sinta orgulho em dizer que sou tua filha, por que tudo que faço para o meu crescimento é em teu nome. Me orgulho de ti,da tua história, da tua luta e não quero te perder nunca, não saberei mais viver sem você mãe! Não tem palavras pra descrever o quanto minha vida é feliz por ter você,e como fico triste quando brigamos. Você é a razão dos meus planos para o futuro e por quem eu tenho vontade de vencer,devo tudo a ti. Obrigada por ser essa mãezona de ouro e me tornar a pessoa que sou hoje, é por ter exemplos de pessoas de coração tão bom como você que sou assim. E como sempre digo, quem precisa de namorado quando se tem a sua mãezinha? Te amo de todo o coração Luci Moretti! ♥ 

"Vivo por ela que me dá
Todo amor que é necessário"


02.02.13


quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Férias.




Mais uma noite estou eu, enrolada em grossas cobertas,sentada em um sofá que cheira a casa da minha mãe, tremendo no frio que o Sul faz nessa época do inverno.
Você pode ter me deixado, mas eu, lembro-me completamente das tuas palavras "Procure ajuda,você está se matando."
Respirei bem fundo soltando a fumaça que saia da minha boca na noite gelada,me lembrei das vezes em que bebi e deixei escorrer pelo meu corpo o que muitos chamam de veneno da minha vida.
Saboreava cada gota como a última.Desatei a chorar.Desatei a chorar pelo simples fato de lembrar de como você faz falta e de como era gostoso,oh céus você era.   
Eramos perfeitos, meu ossos salientes,poderia contar quantas costelas eu tinha de longe, e você no seu corpo escultural, com o par de coxas mais lindos que já vi.Eramos engraçados,companheiros e amigos. 
Desejei pular de prédios e varandas centenas de vezes ao perceber o quanto estava errada em faze-lo sofrer assim.Porém confeço que odiei você,ah meu amor, eu odiei você das maiores formas possíveis,por ter chegado em umas das reuniões e soltado o verbo ao dizer que meu único amor seria uma garrafa de bebida qualquer. Eu queria chorar ao perceber que você estava certo e que estava me envergonhando de tal maneira. 
Eu menti,agredi,roubei,mas você não tinha o direito de me difamar no meio daquelas pessoas problemáticas, afinal, eu era tão normal.Mas você começou a falar e não parou mais e tudo o que disse eu fiquei mastigando a semana inteira.E chorando.O amor da minha vida, tinha me destruído em 3 horas. 
Percebi que eu era a pessoa horrível que você descreveu na reunião,me aceitei, me tratei e me curei. Depois de muito te odiar e de muito pensar em como fazer pagar por tudo que me fez, percebi que se não fosse pela tua dose de raiva e palavras me condenando eu não teria acordado. 
Hoje com um ano e três meses livrada do álcool, não me admirei de encontrar saudades tuas em meu peito. Desde aquela vez em que te vi na clínica, dizendo da pessoa horrível que eu era na reunião nunca mais nos falamos.
Me sinto melhor,de certa forma, e creio que fiz melhorias. Não vivo mais de porre e nem dou desculpas no emprego. Eis que me encontro neste sofá vazio, imaginando como eu poderia dar orgulho pra você agora. 
E para me interromper da pior forma possível a campainha toca e como se fosse telepatia,abro a porta e dou de cara com você. Seus lindos olhos verdes me fitando, me fizeram estremecer sem dizer uma só palavra. E então você,se ajoelha e com a voz rouca quebra o gelo na maior cara de pau diz: 
"Será que uma trepada agora está fora de cogitação?"

8.1.13
OBS: Texto inspirado no livro "Férias" da escritora Marian Keyes. Recomendo a todas as leitoras do blog!

domingo, 6 de janeiro de 2013

Uma de saudade.


Que feliz que todo o meu ser se encontrava quando recebeu a tua visita bem na data em que eu me encontrava fazendo mais um ano de vida. Eu nem precisava mais de presentes, de nenhum parabéns e muito menos ter falado naquela rádio boba logo de manhã. Eu precisava daquele momento, daqueles 10 minutinhos que foi ter você aqui em casa. Só daquele abraço cheio de saudade que eu te dei, onde eu gostaria bem mais que a gente estivesse deitada para não cansar enquanto eu desatava a contar tudo não tinha contado desses tempos pra cá. Não faz mal, ao menos você fez de tudo e passou aqui rapidinho. E eu amei.
Porém foi só aqueles 10 minutos e logo tu partiu de mim de novo, como tu gosta de fazer isso hein menina? Como se eu aqui também não sentisse tua falta ou te merecesse ao menos um diazinho comigo. E aqui estou eu mais um vez, contando os dias, de novo, pra te ver. Pra poder chegar à tua casa e ir me jogando na cama pra dormir, reclamar que o quarto ta bagunçado e te derrubar do colchão. E olha que me deu tanta vontade de fazer isso no Sábado, eu entrei na tua casa e fui correndo me jogar na cama. Mas tu não veio atrás pra se jogar também e a gente ficar disputando coberta. Tu não tava lá pra eu reclamar daquela figurinha colada na porta do teu armário que me dá medo. Muito menos pra fazer um COMBO em ti. Sabe o que foi pior? É que me bateu o desespero, aquele desespero que me bate vez ou outra e que tu conhece bem, que chega perto da hora de dormir, e tu não tava lá pra me abraçar em quanto eu chorava e nem pra me consolar. Então eu deitei na tua cama e abracei o sapo, aquele sapo que a gente joga pra lá e pra cá quando vai dormir, e prendi o choro. Por que ninguém ali iria entender o porquê eu estava chorando e nem iriam se importar tanto quanto você. E ficou, eu e o sapo.
Desespero maior me bateu quando um pouco antes de cada um pegar o seu lugar pra dormir eu vi a tua irmã com a nossa amiga e então eu fiquei só olhando e na hora me venho na mente em ir na tua direção também pra pular na tua canguta ou te encher o saco,e lembrei que tu não estavas ali. E que eu estava sozinha no meio das duas, que faltava a minha parceira daquela casa. 
Invadi teu guarda-roupa e peguei blusa e jaqueta e pijama... Como tu mesma me mandou por mensagem fiz a festa e estava aproveitando. Mas é que era só pra ver se meu coraçãozinho se acalmava um pouco de tanta angústia que ele sentia. Eu sabia que lá onde tu tava tu devia estar se divertindo horrores, mas eu tava me sentindo meio vazia. E agora eu sinto na pele o que a frase "Quando a saudade não cabe no peito ela escorre pelos olhos." queria dizer. Cheguei em casa hoje e aquela minha depressãozinha de todos os meses apareceu, e ficou pior quando percebeu que não ia te ter ao lado pra agüentar minhas lágrimas. Então foi onde por um erro coloquei "All For Love" e música que mais me lembra você do que essa não existe, e então tudo desabou. Estou com a jaquetinha azul e branca que peguei na sua casa ontem e tentei te ligar umas duas vezes em quanto fazia esse texto e sorte que não atendeu, meu choro está descontrolado e tu não irias entender nada do que iria falar. Nunca imaginei sentir tanta saudade. E é bom mesmo você não me abandonar te bato se isso algum dia acontecer. Mais um texto a uma melhor amiga incomparável, e que me faz chorar toda vez que eu penso nela. Nega branca volta logo!
"Não sei o quanto o mundo é bom, mas sei que ele ficou melhor desde que você chegou."

6.12.12

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Adeus 2012.


Aqui estou eu em pleno dia 31 de dezembro em frente a minha tela preferida fazendo o que mais gosto. Eis que faltando algumas horinhas para recomeçar a contagem de um ano inteirinho a retrospectiva de minha própria vida no decorrer de 2012 passa claramente. Sem pensar duas vezes posso dizer que este ano não foi lá muito agradável e que apareceram lágrimas a mais do que eu esperava. Foi um ano de perda inestimável e de pessoas insubstituíveis, foi ano em que eliminei de vez pessoas que eu já me afastava há algum tempo, ano que me fortaleci na amizade, que conheci gente maravilhosa. Ano que aconteceram coisas comuns como qualquer outro! E ano de surpresas, de brigas e de medo. De dor, de saudade e de choro. Mas também foi um ano de fé,de força e de luta, maior do que qualquer outro.Ano de trabalho,de estudos,foi ano de decisão de faculdade, de troca de turno, de diferenças grandes e de mudanças. 2012 apesar de ter sido doloroso, foi também ano de realizações de sonhos, de gargalhadas seguidas de falta de ar, de paixões repentinas, de retiradas de fôlego, de arrependimentos, de festas e de valorização.  E creio que fazendo uma avaliação literal, esse ano foi de dores necessárias para o crescimento. Desde o dia primeiro de janeiro de dois mil e doze, já fui ganhando experiências que me ajudariam agora mais no finalzinho do ano e provavelmente para os próximos de minha vida. E que eu adorei cada segundo, por que sabia que eu conseguiria passar por cada desafio, orando e esperando.Agradeço por mais um ano não perder meus valores e manter em foco os meus objetivos, e que em 2013 eu consiga cumprir muitos mais deles.
Eis que chega 2013 cheio de dias vazios, de horas não tocadas e de meses a serem preenchidos. Encontro-me com a bagagem um pouco maior de conhecimento, experiência, força e garra para 2013, assim como cresce a cada ano. Desejo a mim e a vocês, meus leitores, um ano ótimo, e que as promessas feitas nos últimos anos acabem se cumprindo, que os desejos para 2013 não fiquem apenas nos papéis, que apesar dos choros e sorrisos que 2013 vai nos trazer, a gente não esqueça como conseguimos agüentar até aqui. Próspero 2013, agradecida por passarem esses três anos comigo. 
P.Moretti.

31.12.12