sábado, 22 de dezembro de 2012

Anjo meu.


Eu revi fotos e chorei.Mas chorei muito. Chorei por sentir falta do que ainda é meu.Falta por que não vejo a pessoa a alguns mínimos dias.E mesmo assim faz tanta falta.Por que essa pessoa é minha, mas é à distância, e essa distância é de 30 minutos,de só alguns bairros ,de um ônibus, de uma mensagem,de uma ligação! Eu imagino que mesmo sendo amigas dói tanto ficar longe dela,imagine só se um dia eu parar de ser amiga da minha menina? Meu coração não aguenta e chora mais um pouco. Creio que todos têm amigos ótimos, mas vocês não conhecem a minha.Ah, não mesmo. A minha branca não é ótima,ela é mais do que isso. É indecifrável o valor dela. O desespero me visita toda vez que lembro que estamos sujeitas a nos afastar para sempre,quanta dor que invade meu coração ao pensar que minha analista não estará ao meu lado nos meus momentos de crise de todos os meses. Quem mais nesse mundão de Deus poderia me escutar por longas horas sem reclamar, rir de todas as minhas piadas ou me aguentar na canguta? Ninguém nesse mundo,ninguém!! Fomos feitas para sermos amigas, sempre digo, existe algum motivo para sermos amigas e agora eu sei que é pra mim saber o que é Anjo de verdade, o que é amigo que vira irmão, o que é companheirismo. Minhas lágrimas nas madrugas antes de dormir nunca mais foram roladas rosto abaixo sem que tivesse alguém comigo dizendo que tudo tem o seu tempo e que eu receberei coisas grandes.Nenhum medo de ficar solteira pra sempre foi sentido sozinha,sempre tinha uma branquela me fazendo alguma piada pra rir no meio do choro..
Eu não quero me afastar dela, nunca na minha vida. Nunquinha. Eu não quero deixar de apresentar ela pro meu namorado,nem quero deixar de fazer com que os meus filhos fiquem amigos dos filhos dela e não quero deixar de andar de bengala em cima de um long pelo centro na madrugada. Eu quero ter ela todo tempo, pra rir do meu medo de aranha, pra ficar comigo me contando as partes dos filmes de terror em quanto as minhas mãos cobrem o meu rosto. Quero-a por que não compreenderia certos momentos que me encontro no deserto, tão bem como ela me explica. Quero-a por que ninguém mais me ensina sobre o Senhor como ela, e por que ninguém entenderia tão bem quanto ela como é ótimo ficar na cama o dia todo e levantar apenas para se alimentar.
Meu Deus só pode ser alguém enviado por ti pra me aguentar por horas trancada em um quarto de um retiro,chorando nos braços dela por horas sem dizer uma só palavra! Eu não tenho palavras pra explicar a vocês o quanto essa minha branca representa pra mim, o quanto eu choro por sentir falta dela ou por pensar que estamos brigadas mas na verdade estamos mais unidas do que nunca. Eu sei que não foi em vão que entramos uma no caminho da outra, eu nunca passei por tantas coisas difíceis como passei desde que conheci ela, mas todas essas coisas difíceis encarei com mais força,com mais fé e com mais um apoio desde que ela chegou.Ela sabe, e como sabe, que eu nunca fui muito boa com auto-estima, e como eu não contava muito as coisas para os outros, até ela chegar e me fazer despejar centenas de informações sem medo.
E esse pequeno texto que não tem um terço do que eu sinto por ela,e foi escrito por que meu coração tá se sentindo tão pequeno pro tamanho da saudade, e também do desespero em que eu me encontro por pensar que eu poderia perde-la.
Queria deixar esclarecido entre essas linhas que todo o meu 'eu' é cheio de pedacinhos dela,que ele é inteiramente amor e admiração pela minha branca. E após escrever aqui atras de várias lágrimas derramadas no teclado,de rios de lágrimas e de aperto, deixo a ela o meu eterno amor. Como ela mesma disse "Já sinto tanto sua falta, antes você estava a 30 minutos e agora você está a 10 horas de mim.", vou esperar ela aqui no lugar que eu sei que ela adora estar e provavelmente o mesmo lugar que ela se encontra agora na casa do pai dela, na cama.Vou esperar ela pra gente passar outros centenas de finais de semana se matando de dar risada em quanto se mata tentando fazer cócegas ou um COMBO. Amo-a como se fosse uma parte minha, a minha pequena nega branca. Pra quem não se gostava, o meu amor por ti é inabalável. 

22.12.12
Obs:Texto escrito em prantos,por que só poderei vê-la no dia 9 de janeiro! 

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Admiradora secreta.


Exatamente 3:15 da madrugada e eu me encontro aqui acordada do lado direito da cama sem conseguir dormir.E também não quero dormir.Olhar-te em quanto dorme profundamente é muito melhor.E quão bem me faz te ver aqui tão perto de mim.Admirei teu belo rosto sendo levemente iluminado pela luz da rua que corta pela janela,tua boca entre aberta e percebi como amo teus lábios tão bem contornados.Assim como amo todo o resto do teu corpo,os olhos,as mãos,as coxas e até mesmo a falha no final de tua sobrancelha.Digo que te amo todos os dias,em quanto te beijo ao acordar,quanto meu coração acelera ao ver que é teu número que chama no celular,digo que te amo ao sentir o aperto da saudade no final do dia,quando canto músicas ao pé do ouvido,e nas mordidas.Eu amo por que tudo isso é meu.E você sabe muito bem que eu nunca gostei desse sentimento de posse, mas eu preciso dizer que isso é meu,rotular ao menos uma vez o teu,tão bem desenhado,corpo.Eu que nunca fui dessas sortudas na matéria amor,que repetia de ano e já tinha desistido.Que tinha o jeito atravessado e enrolado de viver,e que já vivia bem sozinha,nunca imaginaria que você chegasse.Não que chegasse pra ficar.E eu agradeço a ti por querer ficar e a Deus,por permitir que você ficasse.
E nessa madrugada que me encontro aqui ao teu lado te admirando,percebi o quanto tu és importante pra mim.Eu sinto que meu peito está cheio,e é de amor.Eu gritaria,se não fosse te tirar do teu sono,o quanto eu te amo.E garoto, eu amo, e amo muito.
Eu sinto como se minha vida estivesse completa,nada de alma gêmea ou minha metade. É apenas você, e isso que me deixa feliz. És tu com as centenas de defeitos,com os olhos inchados ao levantar,com a mania de comer sorvete direto do pote, que eu amo.
E eu sabia que era difícil ir amando pouco a pouco,e eu tinha medo, mas então tu me mostrou o quanto tu podia me oferecer e eu também.E foi nessa troca de amor e de amizade,que acabei percebendo que eu te necessitava,não pra conseguir viver,mas te necessitava.E nessa troca eterna que eu quero viver,é nessa conexão silenciosa e nesse mar de palavras não ditas que eu quero ficar.Quero acordar mais milhares de noites e ficar te observando para sentir mais milhares de vezes meu coração arder de tanto amor por ti,amo-te dos fios dos cabelos aos dedos do pé. Obrigada por me fazer feliz todos os segundos da minha vida,e digo que hoje meu coração é teu, se é que algum dia ele não foi. Suspiro de felicidade e entre as lágrimas que rolam do meu rosto me deito mais perto de ti e fecho os olhos. Eis que adormeço ao teu lado na mais profunda alegria!

18.12.12

domingo, 2 de dezembro de 2012

Projeto de felicidade.

Futura filha minha,quando tu nasceres, se tu por acaso passares por aqui...te deixo aqui escrito e reescrito: Confia em ti e em Deus.
A mãe, que aqui te escreve, nem tem tanta idade ainda porém já encontrou algumas pedras neste caminho que chamam de vida. Creio que devo deixar a ti alguma coisa por aqui e o que deixo é isso, esse conselho que parece tão simples mas que tua mãe tá aprendendo agora, faltando menos de um mês para os 16 anos.
Pode parecer piegas mas não é, lê com atenção o que eu digo. Quando a gente é jovem tudo parecer ser eterno e quando o eterno acaba parece o fim de tudo. Filha, não é. Teus amigos te deixarão. E não é por que você vai chamá-los de amigos que eles terão que ser eternos.Você vai ter amigos de dois dias ou até mesmo de doze anos que do dia para noite poderão te abandonar. Mas isso não quer dizer que não foram seus amigos, pelo contrário, foram sim, apenas não foram eternos. Filha, nada vai ser eterno. Não deixa teus amigos fazerem tua cabeça, com o que tu deve se vestir,falar ou andar.Nem amigos, nem ninguém. Vai ter muita gente querendo que tu faça parte da massa.Aquela que é igual a todos,fácil de serem manipulados.
Filha, vai ter uma época que você vai sentir vontade de dar o teu primeiro beijo e provavelmente por influência de tuas amigas.Espera!! Espera muito,depois tu irá perceber o quanto isso nem é tão importante quanto dizem. E quando der teu beijo, escolhe bem. Teu melhor tem que ser entregue ao melhor. Mas filha, nunca dependa de um homem. Prometa pra mim que nunca vai depender de um homem ouviu bem? Tu és bela,aposto, e só precisa de ti e de Deus. A mim,você sempre terá,isso eu sei.
Filha te foca nos estudos,antes de pensar em namorado te forma nos estudos.Torna a biblioteca teu lugar favorito,lê muito,te apaixona pelas palavras como a tua mãe,prefira ter teu cérebro mais formado do que qualquer outra parte de teu corpo.

Escute muito Los Hermanos,Cassia Eller,Legião Urbana e todas essas músicas que tua mãe vai te acordar nos finais de semana por que vai estar tocando muito alto. Essas músicas que tu vai chamar de ''música de velho" mas que uma hora vai tomar teu coração por inteiro. 
Filha não quero te fazer uma cópia minha. Muito pelo contrário,quero te fazer melhor. Quero isso para que eu não tenha que me preocupar contigo,assim como minha mãe também não precisou.
Quero te mostrar o que pro mundo parece ser o raro, mas pra ti minha filha será a melhor parte de viver.

Serás linda e mais linda por dentro.Lê e guarda o que eu te digo. Se tu um dia leres isso, eu já estarei velha e  enrugada e espero que com uma vida plena. 
Ou tu irá ter que passar por alguns altos e muitos baixos pra aprender que o que a tua mãe diz é o melhor.Assim como eu tive que passar pra entender.
Confia em ti e em Deus. Decepção nenhuma tu irá colher disso.

02.12.12 

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Intensificador de desejos.


E eu me encontrei novamente aqui,deitada em teu peito como se fosse a coisa mais normal que já me aconteceu.Vi seus olhos brilharem,tão intensos e claros que tive vontade de gritar o quanto gostava disso.O quanto amava teus olhos me fitando,teu nariz tão bem formado e tua barba por fazer. Mas antes que eu pudesse fazer algo,me peguei  sentindo o hálito fresco misturado com álcool tão perto do meu rosto que se eu ou você nos inclinássemos, acabaríamos nos beijando. E não sei se foi você ou se foi eu que se inclinou ou se foi os dois, mas quando vi já estava sentindo o calor da sua boca na minha,senti suas mãos deslizarem pelas minhas costas até a cintura me puxando mais perto com uma forma de desejo absurda e ao mesmo tempo, pura proteção. Podia ouvir sua respiração e sentir suas mãos cada vez mais firmes por mim.Pudi sentir os choques de desejo que passavam pelo meu físico,necessitei cada pedaço do teu corpo.Senti tuas mãos deslizarem entre minha cintura e coxa,me puxando ainda mais pra perto de teu corpo em uma vontade de me tomar pra ti.Quanta saudades eu senti desse teu jeito.Já tinha perdido a noção de quanto tempo eu estava em ti e vice-versa,mas desejei que não cessasse nem que o mundo estivesse desabando.Estava sentindo o que meu corpo exigia a semanas,tua barba por fazer,tuas mãos a me levantar e me virar o corpo,o cheiro do teu cabelo.Tudo isso me deu uma nostalgia dos anos em que vivemos juntos.Queria cada gota que pudesse extrair da sua boca,e torcia para que não se desprendesse de mim,que não deixasse de me apertar cada vez mais forte contra o teu peito,me fazendo arder de felicidade e desejo.Mas em um ato involuntário dei um pulo e me soltei,mesmo que meu corpo gritasse por mais um pouco do seu calor ou por muito mais do que só os seus beijos. Repensei em segundos o que estávamos fazendo,e por mais que quisesse passar o resto dos dias envolvida em ti, me lembrei do que acontece depois, de acordar de manhã e sentir o vazio do outro lado do colchão e a ausência do teu corpo.Esperando até a próxima visita inesperada que tu quiseres me fazer. Desisti disso e pensei em mim. E por mais que me doeu na hora te ver partindo enquanto te mandava embora,sabia que não ia doer mais do que te ver partindo enquanto eu te pedia pra ficar.

16.11.12

Precise de ninguém.

Um dia li em um site qualquer que "Ninguém é tão alguém que não precise de ninguém."Eu desacreditava nessa frase,ria e afirmava a mim mesma em alto e bom som,que eu não precisava de ninguém e que  quem precisa de namorado é maluca,que não se contenta sozinha. 
Mas hoje,eu percebi que não é de namorado -apenas- que se refere a frase, e sim, de alguém, uma pessoa qualquer que seja.
Hoje não me restou dúvidas de que preciso de alguém e esse 'alguém' são as amigas. Analisei cada pedacinho da minha vida e percebi que não fiz nada sem uma amiga do lado.
Compreendi que sem minhas risadas matinais eu estaria sem rugas,porém eu estaria,também,ferrada. Sou amante assumida das minhas parceiras de crime. Amo como tenho que me controlar em gargalhar mais baixo das nossas piadas internas por que estamos em um local público ou de como fazemos amizade fácil.

Amigas são as melhores coisas depois da família e encho a boca para falar das minhas. Tenho pra mim que nos encaixamos melhor do que certos 'ex' que apareceram em nossas vidas.E até agora, não precisamos de namorado algum para nos fazer tão bem quanto nós nos fizemos.
É bom poder sair por aí de alma limpa e cara lavada,sem estar com o coração cheio de saudade,angústia,amor não correspondido e toda a bagagem que paixão mal resolvida trás. E saindo,como hoje, em amigas que se sentem bem sozinhas foi uma vitória.Curtimos as amigas,dirigimos frase de apoio uma a outra como :"É isso aí,somos só o que precisamos." No meio daquele brinde onde comemoramos a nossa saída pela primeira vez com o coração leve percebi que é disso que preciso e disso que a frase falava.Preciso do que me faz bem, e o que mais me faz bem do que amigas,boas gargalhadas,algumas voltinhas e amor próprio? 

Não existe homem nenhum que me faça ficar triste de vez, em quanto eu tiver minhas parceiras. Em quanto eu tiver amigas, e existir essa troca eterna de companheirismo e apoio que eu tenho. E digo em alto e bom som, agora não só pra mim mas para todos, que: "Ninguém é tão alguém que não precise de ninguém."

16.11.12

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Afogue-se em bagunça.

E eu,na minha humilde meditação interna, achava que me conhecia.Mas quanta ingenuidade,menina! Me descubro a cada dia, me assusto com o grau de bagunça que sou,com a exigência que tenho comigo mesma e com o mundo. Venho me poupando,por um longo tempo, de certas coisas que nos dias de hoje parecem normais,faço isso e me pergunto todos os dias se faço por mim ou pelos outros. Tenho medo, morro de medo, de ser sempre a certinha, a careta, a ingênua. Nunca a admirável, a única, a exemplo.
Tenho dificuldade em deixar claro aos outros que os homens me acham estranha demais,um tipo esquisita, um defeito de fábrica,uma tentativa jogada no lixo.Nunca a rara, a diferente ou nem que seja a exceção positiva.
Criei muros de proteção contra sofrimento, chamam isso de frieza. Que seja, sou fria então. Sou fria por não crer no amor. Ou melhor, tenho pavor. Pavor por que se realmente existe o amor,que eu torço que exista comigo, tenho medo de senti-lo. Tenho maior pavor em pensar que o amor pode acontecer comigo e eu não perceber, medo de esse tal de 'amor' ser coisa simples, ser chuva de verão, que dá e passa. Tenho maior pavor em pensar que pode não ser como eu imagino, que o tal 'amor' não reconheça meu segredos, que não compreenda que não fiz tantas coisas que outros em meu lugar fazem, apenas para me tornar uma pessoa melhor, que criei esperanças sendo uma dita cuja que tem zelo ao próprio eu.
Seria errôneo este pensamento em que me pego tendo o tempo todo? Veja que a mesma dúvida insiste em açoitar a mente minha, seria certo entregar-me como a pequena de um garoto que dentre o decorrer da vida andou por caminhos tortos sem nem se preocupar em retomar os passos? Creio que se me preparei para tentar fazer parte de um grupo seletivo de criaturas melhores, mereço o melhor. Dentre tantos que poderiam ter passado em minha vida, eu espero, com fé, que entre eles exista alguém  que seja ao menos alguém que eu mereça. Não me cativei até aqui crendo que serei reconhecida por alguém que também seja único, que seja amante das minhas coisas. Quero que me faça crer que o amor possa acontecer com está criatura que mais vaga por aí com o coração vazio de afeto, por que posso ter me matado de muitas maneiras sem ao menos ter morrido uma única vez. Penso que não sei amar, porém sei falar de amor.
Já chegou aos meus ouvidos que o amor se aproxima dos distraídos, tenho pra mim que é por isso que ando tão atenta. Sou uma eterna bagunça e não há quem goste de andar nessa extrema confusão. Sou o texto que ninguém lê até o fim, a música que todos dão stop e nunca um play. Sou um prato cheio de indecisão e tenho tantas coisas que não revelo a mim mesma que tenho receio em querer passar isso a alguém.

Aprendi a lidar comigo mesma sozinha, e não sei se agora que acabei de me acostumar estou disposta a me despir de toda a minha carcaça de frieza apenas pra por a prova se o amor realmente existe. Não existe ninguém tão teimoso quanto eu.

20.10.12

domingo, 7 de outubro de 2012

Contagem positiva

Virei de um lado, rolei para o outro.Oscilei entre ficar deitada ou caminhar por aí,decidi,então, ao menos me sentar.04:05 da madrugada.Respirei fundo e desesperadamente necessitando de colo. Mas ninguém por perto como geralmente acontece quando necessito de apoio.Vi minhas fotos,por cima do criado mudo,onde meu sorriso é claramente visível.Resisti em ligar a luz,por mais que meu medo de escuro gritasse no peito,ainda existia a luz da rua.
Me vi esquecida do que eu era,ou melhor,do que queria ser.Dizem que me tornarei uma adulta admirável.Mas me pergunto,aos olhos de quem?Aos olhos dos meus pais tenho certeza de que até jogando uma pedra no lago eu seria admirável.Me pergunto mesmo é quem mais vai perceber que sou admirável,se é que sou. Quem ao menos reconheceria que por trás da devoradora de livros,existe gênio forte,e também fragilidade absurda.Além de ser brincalhona,continua tendo os devaneios,continua sendo serva de Deus e mais ainda fã de futebol.Que ao mesmo tempo gosta de política e escuta qualquer estilo musical,mas que músicas dos anos 80 tem efeito de nostalgia em meu peito,puro amor.

Ninguém.Por que ninguém,além dos meus pais,passa tempo o suficiente comigo,para perceber os meus detalhes. Creio que ninguém também conseguiria passar muito tempo comigo,gasto muita saliva falando do que não importa.
Escutei uma vez que falar demais é pra quem é inseguro,pois creio que sim.Arma dupla,falar de mais e rir demais.Grade de proteção que afasta os pensamentos e pessoas má intencionadas.Engraçado como tenho que me proteger até do próprio 'eu',por medo de ficar sozinha..falo comigo mesma.Não suporto solidão e amo ficar sozinha.Parece a mesma coisa,mas não é.
Se tenho medo de ficar sozinha comigo mesma, imagina ficar sozinha com alguém.Insegura! Aos 10,não sei se me orgulharia de quem sou hoje. Mas não criei planos para os meus 15 e chegar até aqui,ainda mantendo meu princípios,meu amor pelos livros,animais e mantendo acima de tudo o respeito comigo mesma.Ainda mais nesse mundo maluco em que me encontro hoje em dia.Já valeu alguma coisa! 


03.01.12

sábado, 6 de outubro de 2012

E agora?

Dentre idas e vindas torci para não sentir tua presença pelos locais que frequentamos.Orei pela ausência do corpo,quase fraca.Ou fraca.
Pedi para não sentir as mãos,o cheiro único ou nem que seja, a voz.Torci,orei,pedi..Em vão!
Passou e ficou com a cara de extasiado ao perceber que ocupávamos o mesmo espaço. Novamente.Senti cair aos poucos a base sólida que criei e que por longos meses me pareceu firme, e que você não me afetaria nunca mais.

E sem dizer uma única palavra,conversamos por horas entre olhares.O desejo do corpo um do outro gritava no peito,e por mais que existisse as negações,todos ao redor perceberam nossa "energia  assustadora",como você mesmo dizia.
Aos poucos fui me desarmando,lutei tanto para não me afundar na alegria em te rever, querendo me manter forte e fingir estar com raiva.Não consegui nem a primeira parte.
Fiquei com raiva de estar apenas um metro a minha frente e não ter dado um passo em minha direção pra me tomar nos braços,ou sinalizar pra me encontrar atrás de qualquer galpão,escondido, pra não dar a alegria dos outros, em saber que ainda nos pertencemos.
Senti raiva,também,dessa tua blusa azul clara que detesto.Por mim já estaria rasgada,lá longe.Odiei tua blusa,na mesma medida que sei que tu deve ter odiado em me ver de cabelo solto com os brincos de pérola. Detestou e ainda fez questão de mostrar com o olhar de desaprovação.
E ficou só nisso,ficou só nos olhares,no desejo e na raiva que sabemos que não passa de amor.E mais uma vez se foi o rio de palavras que eu tinha pra te dizer,tudo aquilo que estava engasgado desde que eu fui embora.Tem tanta coisa não esclarecida e a gente nem se preocupa.E nem quer. Por que as palavras sempre fogem ao nos vermos.
Mas e agora,pra quem eu vou falar de amor? 

07.10.12

domingo, 30 de setembro de 2012

Em segredo.


Me pego olhando para a mesma tecla a alguns minutos sem conseguir escrever nada.De hora em hora,ou um pouco menos,me pego olhando a telinha brilhante do celular.Acho que existe algo de errado quando você espera uma mensagem que não tem remetente,não é? Me sinto um pouco mais fria, ríspida toda vez que vejo alguém querendo ter o desprazer de flertar comigo.
Sentir as borboletas no estômago,dormir feliz, acordar e perceber que se estava encarando o teto e sorrindo já faz alguns minutos,ver o celular ligar com o nome que não sai da minha cabeça? Isso eu desconheço, nunca senti. Jamais me senti contente com alguém. Ao 
contrário de não ter opções mas por ninguém ter tocado a mim tão afundo. Sentir raiva, me enjoar fácil dos outros, não responder mensagens e desligar as ligações? Bom, isso eu sei muito bem. 
E é difícil alguém entrar e permanecer, causando dia e noite efeitos bobos em mim, daqueles que quem vê de longe acha a coisa mais bonita em um casal.Talvez, por que não ninguém até hoje me encantou. Fazer o que os outros já fizeram aqui, não torna ninguém especial.Eu espero mesmo é aquele que mesmo que não goste de ler, respeite isso em mim e admire meu amor pelas palavras.Que compreenda que em mim existe bem mais do que eu mostro e que mostrarei somente a ele essa minha parte! Que tenha sempre em mente que minha risada alta é algo que não muda e que tenho comigo constantemente,que gosto de ter amigos sempre por perto e que vez ou outra vou estar tão desesperada comigo mesma que não vou conseguir passar a ele o que sinto dentro de mim.
Quero que encontre em mim o que procurava em outras, o que desejou e nunca encontrou e que tenha pra si que tenho algo de diferente entre elas.

Entre as curvas do teu braço descanso de olhos fechados agradecendo a cada segundo que tenho ao teu lado,podendo sentir teu perfume que ao ir embora,certamente ficará na tua camisa que eu me pegarei usando.Tenho pra mim que ele é meu já desde que nasceu,como eu também sou dele desde a primeira vez que enchi os pulmões com o ar deste mundo. Não me importo de não sentir nenhum pouquinho de "paixãozinha repentina" por ninguém,sei que quando essas borboletas e calafrios chegarem,não irão mais embora. Tamanho é o amor que nascerá entre nós que de longe todos irão dizer:"Já se pertenciam, sem ao menos saber." Aqueles casais que dá vontade de  ficar olhando o dia todo,que um completa o outro,não por sentir necessidade obsessiva um do outro. Apenas por que se gostam, por que não existe mais vazio existe apenas amor aonde, antes,eu dizia que sentia solidão.

30.09.12

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Adole-essência.

Devo à minha mãe o maior prêmio que tem,por pregar a mim a maior peça de todas, ao me dizer,em meio aos meus soluços:
"Adolescência é fácil e passa rápido..."
Ai mãezinha quem me dera isso ser realidade.Ríspida e dramática essa tal de adolescência,é tudo um turbilhão de sentimentos.Parece fácil vendo de longe,mas estando aqui no meio de tamanha informação,tanta gente entrando e saindo da própria vida,deixa a gente meio confuso.
É uma incerteza que vive atrás de mim,tudo o que eu tenho hoje posso não ter amanhã,tudo que parecia amigável e estável pode não ser a realidade.É tanta mudança e brigas,isso mesmo,brigas comigo mesma.Maldito é esse "eu" que não se decidi o que quer,o que é e o que quer ser.Maldito, por que tem medo e ao mesmo tempo que tem medo, tem coragem.Mas se cala ao ter que falar de si próprio e do que tem dentro de si.Me sinto como lagarta em casulo se preparando pra virar borboleta.
Maldita lagarta medrosa,essa que sinto dentro de mim.De maneira alguma quero ser borboleta pela metade,mas que dor me dá ficar nesse casulo.
Lágrima boba essa que escorre gelada e solitária entre meu rosto,em pensar em tudo que é incerto na minha vida,errônea menina que não passou por nada tão marcante e já tem medo do futuro.
"Aguenta firme meu anjo,que eu estou contigo até sair desse casulo." sussurra minha mãe em quanto seca minhas lágrimas de pura insegurança.


27.09.12